Notícias AEV

Visita à capital

20 janeiro 2018

Oito e meia da manhã de um dia de inverno, nublado, sem chuva. Devagar, íamos chegando de mochilas às costas e ar ensonado, ansiosos pela viagem que nos levaria à capital.

Já instalados, de “headphones” nos ouvidos, víamos as terras que pareciam correr em sentido contrário ao nosso, até que, entre conversas e brincadeiras, lá nos aproximámos, a meio da tarde, do nosso destino.

Em Lisboa, o museu dos coches, de rosto virado para o Tejo, alberga os objetos que invocam o requinte e a graciosidade de outrora, os detalhes inscritos em cada um daqueles objetos contavam histórias da beleza, do luxo, da riqueza de alguns eleitos.

Encantado, afastei-me do grupo e olhei pela janela. Deslumbrado, vi o rio do sucesso e da glória; o rio das lágrimas e da saudade… O rio que não levava reis, mas vencedores.

Voltámos à realidade e à deambulação pelos cheiros e sabores de Lisboa. Traçámos o caminho do poeta, descendo o Chiado para encontrarmos uma Brasileira apinhada de turistas, procurando, nos “rostos de Pessoa”, as palavras da sua poesia. Encontrámos, afinal, a “lida e a calma” urbanas.

À luz, não do gás, mas da força avassaladora das máquinas elétricas vimos cair a noite, sonolenta e cansada.

Nos estúdios da RTP, esperava-nos um momento de entusiasmo e de histeria no programa “5 para a meia noite”, onde os jovens encontram, no humor e na sátira, a simples gargalhada que eclipsará todos os problemas mundanos.

Fomos ficando por ali, entre palavras e risos encenados, até que, por fim, nos encontrámos na pousada onde adormecemos já à luz do novo dia que se deixava descortinar pela janela do quarto. Mas … logo depois, a alvorada! Gritavam os smartphones! Apressada e desleixadamente deixávamos para trás as conversas e os nossos sonhos da noite ida… porque era um novo dia. Um dia novo: dia de visita ao Parlamento.

Sentados nas suas bancadas estavam os eleitos pelo povo, na casa da liberdade, na casa da democracia: o Parlamento Português, lugar onde os deputados decidem o destino do país.

Desapontados, vimos a negligência dos responsáveis, desonrando a voz que lhes foi confiada, desrespeitando os portugueses com um simples “like” nas redes sociais que percorriam com as pontas dos dedos.

Saímos dali. A tarde a querer adormecer. A estrada, envolta numa luz cada vez mais ténue, adivinhava-se longa. Agora, na cidade grande, brilhavam milhares de luzes. O cansaço ia tomando conta da turba e o silêncio ouvia-se cada vez mais intenso dentro do autocarro.

Embalados pela noite, aproximávamo-nos do vale da alegria, chegávamos ao campo de batalha triunfal de D. Afonso Henriques e víamos os cavalos que não caminham. À medida que desembarcávamos da “nau exploradora moderna” ,que levou um grupo do futuro a conhecer o país, os ares agradáveis das montanhas invadiam o vale e traziam-nos o conforto de casa.

Pedro Coelho e Diogo Ferreira, 12ºB

foto 2 1024x768

foto da visita

Localizar

Está em... Home Notícias Visita à capital