Serviço de Psicologia e Orientação

Serviço de Psicologia e Orientação (SPO)

De acordo com o Decreto-Lei n.º 190/91, de 17 de maio, que regulamenta os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO), estes são unidades especializadas de apoio educativo, integradas na rede escolar, que desenvolvem a sua acção nos estabelecimentos de educação.

Ao exercício das funções de psicólogo aplica-se o código deontológico da prática da psicologia da Ordem dos Psicólogos Portugueses, publicado na 2ª Série do Diário da República a 20 de Abril de 2011, Regulamento Nº 258/2011.

Funções Técnicas de um Psicólogo Escolar/Educacional (por referência: ao Referencial técnico para os psicólogos escolares da DGE – 2016 e Decreto-Lei n.º 190/91 de 17 Maio):

  • Orientação Escolar e Profissional/Orientação da Carreira – apoiar os alunos no processo de desenvolvimento da sua identidade; fomentar a autonomia na pesquisa de informação; apoiar a aquisição de competências de gestão de carreira; realizar acções de informação sobre o sistema educativo e formativo e a oferta existente; colaborar na organização de atividades de aproximação ao mercado de trabalho; preparar as transições ao longo do percurso educativo e profissional e dinamizar acções de informação e sensibilização dos pais e encarregados de educação e da comunidade em geral, sobre aspectos inerentes a tomadas de decisão de carreira.
  • Apoio Psicológico e Psicopedagógico – apoiar a implementação de intervenções alargadas com vista à promoção do desenvolvimento, do sucesso escolar, da saúde e bem-estar de todos os alunos; proceder a avaliação global de situações relacionadas com problemas de desenvolvimento, com dificuldades de aprendizagem, com dificuldades comportamentais e relacionais com competências e potencialidades específicas, através de processos de avaliação psicológica; colaborar com professores e educadores, na identificação e análise das causas de insucesso escolar prestando aconselhamento em função da situação; colaborar na avaliação e intervenção multidisciplinar; colaborar nos processos de referenciação, avaliação e definição de medidas de educação especial ou noutras respostas educativas e propor em colaboração com os serviços competentes, medidas adequadas de resposta educativa.
  • Apoio ao Desenvolvimento do Sistema de Relações da Comunidade Escolar – colaborar com os órgãos de direcção, administração e gestão da escola, através de elaboração de projetos, de acções de consultadoria, elaboração de documentos e pareceres; colaborar em acções destinadas a eliminar e prevenir as retenções e o abandono escolar, promover a saúde e o bem-estar; articular com outros serviços especializados, de modo a contribuir para o diagnóstico, avaliação e intervenção de crianças e jovens; colaborar em acções de formação e participar na realização de expectativas pedagógicas; colaborar com a comunidade e agentes educativos, na perspectiva do aconselhamento psicossocial, participação nos conselhos de turma e organização de acções de formação; colaborar na celebração de protocolos, com serviços, empresas e outros agentes da comunidade; articular com outros serviços e recursos da comunidade e desenvolver acções de informação e sensibilização dirigidas a pais e encarregados de educação e comunidade em geral sobre o desenvolvimento e aprendizagem.

No entanto, e independentemente dos procedimentos e estratégias a utilizar, a intervenção do psicólogo escolar, deve ser holística com reflexo a 5 vectores (cognitivo – desenvolvendo competências de resolução de problemas de tomada de decisão; emocional – permitindo a identificação e expressão de sentimentos, o desenvolvimento da auto-regulação e de estratégias de coping; comportamental - contribuindo para o desenvolvimento de competências comunicacionais, de interajuda e de negociação; motivacional – desenvolvendo expectativas de auto-eficácia e de gestão pessoal, de valorização do esforço e da persistência e contextual – promovendo o envolvimento de todos os elementos da comunidade educativa (Referencial técnico para os psicólogos escolares da DGE – 2016)

1) Destinatários: Alunos do Agrupamento de Escolas de Valdevez; Pais e Encarregados de Educação (EE); Diretores de Turma/Professores e Pessoal Não Docente

2) Como aceder ao Serviço de Psicologia e Orientação? O pedido de apoio/encaminhamento para o serviço, pode ser feito através de qualquer agente educativo (professor, EE/pais, aluno, pessoal não docente), através do preenchimento de uma ficha de sinalização, acompanhada da declaração de autorização do EE/Pai/Outro Tutor Legal, para o caso de alunos menores de idade. Devem ser anexados documentos esclarecedores ou identificadores da situação do (a) aluno (a). Qualquer acção de avaliação/intervenção terá um enfoque biopsicossocial (contexto familiar, escolar e social), sendo solicitada e necessária a participação e intervenção de todos os agentes que influenciam o desenvolvimento/aprendizagem do (a) aluno (a) a intervir.      

3) Equipa Técnica para o Ano Letivo 2017/2018

Coordenadora do Serviço de Psicologia e Orientação – Dra. Tânia Sousa, com sede do serviço na Escola Básica e Secundária de Valdevez – em regime de horário completo:

Contatos: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. / 258 105 715

Horário de Funcionamento: calendar-24

Sala: 19A

Técnico de Intervenção Local (TIL) Turma PIEF – Dra. Débora Gonçalves – em regime de horário completo

Contatos: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar./ 258 105 715

Horário de Funcionamento: calendar-24

Sala: 19A

 

 

Localizar